quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Pel Caç Nat 60 Guiné 68/74 - P112: Tarde no Mar

Tarde no mar
 
A tarde é de oiro rútilo: esbraseia.
O horizonte: um cacto purpurino.
E a vaga esbelta que palpita e ondeia,
Com uma frágil graça de menino,
 
Pousa o manto de arminho na areia
E lá vai, e lá segue o seu destino!
E o sol, nas casas brancas que incendeia,
Desenha mãos sangrentas de assassino!
 
Que linda tarde aberta sobre o mar!
Vai deitando do céu molhos de rosas
Que Apolo se entretém a desfolhar...
 
E, sobre mim, em gestos palpitantes,
As tuas mãos morenas, milagrosas,
São as asas do sol, agonizantes...
 
                      Florbela Espanca
 

domingo, 20 de novembro de 2011

Pel Caç Nat 60 Guiné 68/74 - P110: A jovem Gazela.


Aniversário da Companhia de Caçadores 1801 .


Ingoré por do Sol:


1.º Cabo Caçador.
Manuel Seleiro,


Quartel de Ingoré:


Pelotão de Caçadores Nativos 60


3.ª Secção do Pelotão de caçadores nativos 60.

Saída do pelotão de Caçadores Nativos para mais uma coluna...

Guiné/S.Domingos/Ingoré…
68/74
Pelotão de Caçadores Nativos 60.
A jovem Gazela:
Decorria o ano de 69 abril…
Na estrada Ingoré Sedengal, havia um ponto de encontro.
Convém recordar que o Sedengal era um “destacamento”, que fazia parte da companhia de Caçadores” 1801 que estava no Quartel de Ingoré.
Aqui estava o 3.º Pelotão da CCAÇ 1801.
O Pel Caç Nat 60 estáva no Quartel de Ingoré, em auxílio á CCAÇ - 1801…
Todo o serviço era feito pelo pelotão 60, e o 1.º pelotão da 1801…
Uma vez que esta companhia estava reduzida a um pelotão:
E o 2.º pelotão que se encontrava no destacamento da Antotinha.
Como era norma nestes casos, eram feitas colunas duas vezes por semana…
Para transporte do “correio”, ou “géneros” ou sinples troca de informações.
Aqui comessa a História da “jovem” “gazela”.
Era um belo dia de abril, eram 10 horas da manhã, quando a coluna vinda de Ingoré chegou ao ponto de encontro.
Nesse dia a coluna que vinha do Sedengal, atrazou…
O pessoal do pelotão 60 ficou por ali…
Quando me encontrava junto a uma árvore, olhei na direção do mato porque algo me chamou a atenção…
Ali estáva ela com sua elegância, jovem e bela com seu pelo dourado, ondulando com a brísa daquele dia de abril.
Era jovem e teria de três a quatro meses…
Pensei tens de ser minha, custe o que custar.
Deichei a (G. 3 ) junto a uma árvore, e parti na sua perseguição… A primeira tentativa falhou…
Modei de estratégia, tentei ver donde vinha o vento…
Tentei a abordagem por traz e quando estava perto saltei sobre ela, mas em vão porque ela num lapso saltou como só as gazelas sabem fazer… Mais uma tentativa falhadda…
E a perseguição continuou uma, duas, três, quatro, cinco tentativas todas em vão…
A última chorei de raiva porque a minha linda gazela correu em direção ao interior da mata…
E agora ali estava eu perdido no meio da mata , triste e desorientado sem saber para onde devia caminhar…
Sim! Porque estava muito lonje do local donde estavam os meus camaradas.
Foi o ruído das viaturas, que me levou até junto deles…
Pelotão de Caçadores Nativos 60.
1.º - Cabo,
“CCAÇADOR”
Manuel Seleiro,
“DFA”
abril, de 69 dez da manhã .
Ingoré/Sedengal.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Pel Caç Nat 60 Guiné 68/74 - P109: Ingoré Ano de 69.

Ingoré Outubro de 69

Estiveste em Ingoré?

Sabes onde ficava esta fonte ?
...

(...)
1.º cabo caçador.
Agora é chique dizer a especialidade:
Pelotão de Caçadores 60.
S. Domingos /Ingoré
68/74
_

domingo, 18 de setembro de 2011

Pel Caç Nat 60 Guiné 68/74 - P108: Filme do Plácido Teixeira

Companhia de Cavalaria - 3365


S. Domimgos - Guiné


Recebi do Plácido Teixeira o link do filme que colocou no Youtube.
É uma sequência de fotos tiradas em S. Domingos em 71/73.

filme feito em S. Domingos em 71/73
_

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Pel Caç Nat 60 Guiné 68/74 - P107: Inspecção de uma Ponte

Inspecção de uma Ponte...


(...)
Ficava perto de um Quartel:
(...)
Em que zona da Guiné ficava...A dita ponte...
(...)
Uma ajuda!
Valá ... Ficava lá para o Norte da Guiné...
1. º Cabo (CAÇADOR)
Agora fica bem dizer a especialidade!
Manuel Seleiro
Pelotão de Caçadores Nativos 60.
(DFA, )
_

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Pel Caç Nat 60 Guiné 68/74 - P106: Posto de observação...



Sabes onde ficava este posto?
(...)
Eu sei... que companhia construiu ... Este Destacamento...
(...)
Valá! ... Eu ajudo... começava... por um (T).
1. º Cabo (CAÇADOR)
Agora está na moda destacar a especialidade,
Ah! isto passa-se no ano de 68.
Pelotão de Caçadores Nativos 60
"DFA"

_

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Pel Caç Nat 60 Guiné 68/74 - P105: Metralhadoras cantam a canção da guerra.


Conhece estas chapas?
(....)
vá lá faça um esforço:
)...(
Metralhadoras cantam a canção da guerra.
Vá lá vou dar uma ajuda... **Ano de 69...
Não se recorda? ... pois é...

Acenderam-se as armas pela noite dentro.
Quem rebenta? Quem morre? Quem vive? Quem berra?
Há um vento de lamentos nos lamentos do vento.
Metralhadoras cantam a canção da guerra.

Cantam granadas a canção da morte.
E há uma rosa de sangue à flor da terra.
Morrer ou não morrer é uma questão de sorte.
Metralhadoras cantam a canção da guerra.


Cantam bazookas e morteiros e estilhaços
cantam esta canção de aço que não erra
no espaço do seu fogo entre dois braços.
Cantam metralhadoras a canção da guerra.

Há um tiro que parte. Há um corpo que tomba.
Nesta boca fechada há um morto que berra.
Quem estoira no meu peito? o coração? Uma bomba?
Metralhadoras cantam a canção da guerra.

Todo o tempo é uma batalha. Ataque. Fuga.
Fuga. Ataque. Silêncio. Um silêncio que aterra.
Que marca o rosto com o seu peso ruga a ruga.
Um silêncio que canta na canção da guerra.


Mina. Emboscada. Pó. Pólvora. Sangue. Fogo.
Acerta não acerta? Erra não erra?
Perdeu todo o sentido dizer-te até logo.
Metralhadoras cantam a canção da guerra.


Cada segundo pode ser o último segundo.
Como enterrar os mortos que a memória desenterra?
Há um poço tão fundo tão fundo tão fundo.
Metralhadoras cantam a canção da guerra.

Há um soldado que grita eu não quero morrer.
E o sangue corre gota a gota sobre a terra.
Vai morrer a gritar eu não quero morrer.
Metralhadoras cantam a canção da guerra.

Houve um que se deitou e disse: Até amanhã.
Mas amanhã é o dia em que se enterra
o soldado que disse: Até amanhã.
Metralhadoras cantam a canção da guerra.

E um jeep corre pela noite dentro.
Avança não avança? Emperra não emperra?
Passam balas de chumbo nas balas do vento.
Metralhadoras cantam a canção da guerra.


E há duzentos quilómetros de morte
em duzentos quilómetros de terra.
Neste caminho de Luanda para o Norte
Metralhadoras cantam a canção da guerra.


Manuel Alegre

1. º Cabo (CAÇADOR)
Pelotão de Caçadores Nativos 60.
Manuel Seleiro,
(DFA)

_

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Pel Caç Nat 60 Guiné 68/74 - P104: Poema

Teus olhos

Olhos do meu Amor! Infantes loiros
vTeus olhos


Olhos do meu Amor! Infantes loiros
Que trazem os meus presos, endoidados!
Neles deixei, um dia, os meus tesoiros:
Meus anéis, minhas rendas, meus brocados.


Neles ficaram meus palácios moiros,
Meus carros de combate, destroçados,
Os meus diamantes, todos os meus oiros
Que trouxe d'Além-Mundos ignorados!


Olhos do meu Amor! Fontes... cisternas...
Enigmáticas campas medievais...
Jardins de Espanha... catedrais eternas...


Berço vindo do Céu à minha porta...
Ó meu leito de núpcias irreais!...
Meu sumptuoso túmulo de morta!...



Florbela Espanca

_

sábado, 16 de julho de 2011

Pel Caç Nat 60 Guiné 68/74 - P103: A minha partida







Ana Mafalda !




Partida de Lisboa 11 07 68


Partida do Cais da (Rocha Conde de Óbidos).



O Ana Mafalda partio do Cais da (ROCHA CONDE DE ÓBIDOS) com trezentos militares de rendição individual
Chegada á Guiné a 16 de Julho, avistámos a costa as 16 horas.
estivémos que aguardar ao largo:
primeira informação para o nosso desembarque 20 horas segunda informação:
desembarque á 01 horas o que veio a confirmar-se.
Chegada aos (ADIDOS) as duas da manhã fomos recebidos por dois "Sargentos" que nos fizeram formar.
Un dos sargentos fez a chamada de alguns militares...
E ele disse! os que chamei á amanhã apresentam-se na secretaria.
entertanto caío uma chovada, daquelas que costumam cair em climas (TROPICAIS) quando fomos apanhar as malas e os sacos ... houve muito boa gente que ficou com as pégas das malas nas mãos!
Fiquei alguns dias em (BISSAU), todos os dias tinha que passar por a secretaria:
para ver se estáva a minha colocação.
Alí! naquele dia ...Lá estáva (SÃO DOMINGOS NORTE DA GUINÉ).
No dia 25 de Julho saí de (BISSAU) num Batelão rumo a S. Domingos.
A 27 de Julho de 68 pisei o palco da guerra... Alí! estáva eu...
Apresentei-me na secretaria da companhia o primeiro sargento depois de dar uma vista de olhos nas guias disse! vá apresentar-se ao comandante do Pelotão de Caçadores Nativos 60.
(ALFERES ALMEIDA)...
A 28 de Julho fiz o meu primeiro serviço... no dia


A minha primeira foto em São Domingos



29 do mesmo Mês foi a minha primeira saída para o mato... e dia do meu (ANIVERSÁRIO)! ...


1. º Cabo caçador
Manuel Seleiro
"DFA"




_

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Pel Caç Nat 60 Guiné 68/74 - P102:Editorial



Editorial

Onde está a acessibilidade nos Blogs, e páginas da Internet.



Cada vez se torna mais difícil os (CEGOS)... fazerem comentários nos blogs...
(...)

Senhores Editores e Administradores:
Vamos ser razoáveis, torna-se frustrante para um (CEGO)ao escrever um comentário e confrontar-se com a seguinte informação.
Mostrar verificação de palavras para comentários?
São muitos os blogues que têm esta opção activada, deficutando o acesso dos (CEGOS E PESSOAS COM BAIXA VISÃO Á INFORMAÇÃO).
Os Senhores perguntarão: mas ha blogs/Site que tem um link se for lincado os (CEGOS) podem assim ouvir o código falado... o problema aqui é que o (CEGOS) vão ouvir três vozes quase em simultâneo... em português, inglês e brasileiro...
Meus Senhores por favor, facilitem... não custa nada e a nós ajuda-nos muito...



Iniciar seção/definições/conentários.
Mostrar verificação de palavras para comentários?Sim Não

Isto fará com que as pessoas que deixam comentários no seu blogue tenham de completar uma verificação de palavras, o que ajudará a reduzir o spam de comentários.

Ou será um problema de (spam)...
Os meus blogues tem essa opção desactivada.
Com os melhores cumprimentos,

Manuel Seleiro,
1. º Cabo (CAÇADOR)
"DFA"

_

sábado, 18 de junho de 2011

Pel Caç Nat 60 Guiné 68/74 - P101: Ano de 69 Estrada Ingoré/Barro.


Na foto o primeiro cabo Manuel Seleiro.


Com o "Rocket".


Ano de 69,*
Aqui!
Era o ponto de encontro:
(...)

Como quem diz o meio do percurso entre (INGORÉ E BARRO.)


1. º cabo "Caçador:"

Pel Caç Nat 60,


Manuel Seleiro,
"DFA"

_

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Pel Caç Nat 60 Guiné 68/74 - P100: A "RTP" Não transmitiu a grande reportagem... sobre os (Ex Militares africanos)

Os (ex militares africanos mais uma vez foram enganados:)
O programa da "RTP" grande reportagem da autoria do Jornalista Jorge Almeida.
Foi transferido para uma data inserta...
O programa estáva agendado para o dia 1 de Junho quarta-feira as 21 h:
Um camarada nosso falou com o jornalista ao telefone, ex a resposta:
(Falei com o jornalista Jorge Almeida e ele disse-me que não foi hoje por causa daquelas conversas (de chacha, digo eu) com os líderes dos partidos e a Fátima Gomes Ferreira, Disse-me que será daqui a oito ou daqui a quinze dias. A ver vamos)

Serve apresente "NOTA" para pedir desculpas aos leitores e camaradas do blogue do Pelotão de Caçadores Nativos 60 .

1.º Cabo "CAÇADOR":
Manuel Seleiro,
"DFA"

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Pel Caç Nat 60 Guiné 68/74 - P99: Grande Reportagem no (1.º Canal da RTP 1)






RTP - Grande Reportagem


ELO
Jornal da Associação dos Deficientes das Forças Armadas
Edifício ADFA - Av. Padre Cruz
1600-560 Lisboa
E-mail: jornal.elo@adfa-portugal.com
Website: www.adfa-portugal.com









---------------------------------------

Exmos. Senhores,

Na próxima Quarta-feira, dia 1 de Junho de 2011, o programa Linha da Frente da RTP 1 vai emitir

às 21 horas, logo após o Telejornal, a seguinte Grande Reportagem:


ESQUECIDOS PELA PÁTRIA

Quarenta anos depois do fim da guerra do Ultramar, ainda existem ex-militares africanos a viver

em quartéis portugueses. Alguns estão ilegais, outros perderam a nacionalidade e todos esperam o

momento de poder regressar aos seus países. Numa situação de pobreza extrema aguardam pela

resolução do moroso processo para obter uma pensão como deficiente das Forças Armadas.
"Esquecidos pela Pátria" é uma Grande Reportagem da autoria do jornalista Jorge Almeida, imagem

de Jaime Guilherme, edição de Luís Vilar, pós-produção áudio de Rui Soares e produção de Amélia

Gomes Ferreira.

Com os melhores cumprimentos,


Jorge Almeida
Jornalista RTP

Cell - +351 919004240

RTP
Radio e Televisão de Portugal
Av. Marechal Gomes da Costa, 37
1849-030 Lisboa
Portugal
www.rtp.pt

_

sábado, 21 de maio de 2011

Pel Caç Nat 60 Guiné 68/74 - P98: Dia do meu aniversário.



S. Domingos ** 29 07 1968.
A minha primeira saída para o "MATO", no dia do meu aniversário.
....
O local da foto a 3 Km de S. Domingos, no lado direito no sentido S. Domingos Ingoré.
....
15:H 39: Minutos...
1. º Cabo Manuel Seleiro,
....
(CAÇADOR,)
...
"D F A"

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Pel Caç Nat 60 Guiné 68/74 - P97: A primeira foto do Pel Caç Nat 60.


S. Domingos Ano de 68,

A primeira foto tirada ao pelotão de caçadores 60
Data provável **(Agosto de 1968
"Nhambalan "



1. ºCabo Manuel Seleiro
"Caçador"
(DFA)

_

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Pel Caç Nat 60 Guiné 68/74 - P96:Vinte cinco de Abril - "SEMPRE"


---


Vinte cinco de Abril sempre,

Abril

Brinca a manhã feliz e descuidada,
como só a manhã pode brincar,
nas curvas longas desta estrada
onde os ciganos passsam a cantar.
Abril anda à solta nos pinhais
coroado de rosas e de cio,
e num salto brusco, sem deixar sinais,
rasga o céu azul num assobio.

Surge uma criança de olhos vegetais,
carregados de espanto e de alegria,
e atira pedras às curvas mais distantes
- onde a voz dos ciganos se perdia.

Eugénio de Andrade

_
1. º Cabo "caçador,"
Manuel Seleiro,
"DFA"

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Pel Caç Nat 60 Guiné 68/74 - P: 95 Associação dos Deficientes das Forças Armadas, na evocação dos 50 anos do inicio da "GUERRA"!


Grupo coral os mineiro de (Aljustrel - Grandôla Vila Morena)">


> A Associação dos Deficientes das Forças Armadas, na evocação dos 50 anos do inicio da guerra.
> CONVITE
> Exmo Senhor,
> A Associação dos Deficientes das Forças Armadas, na evocação dos 50 anos do inicio

Colonial, irá comemorar o 25 de Abril através da realização de uma Palestra proferido pelo

Capitão de Abril, Coronel Otelo Saraiva de Carvalho, às 16h00 do dia 19 de Abril, na nossa Sede

Nacional – Auditório Jorge Maurício, sita na Avª. Padre Cruz – Edifico ADFA, 1600-560 Lisboa.
> Para a ADFA, comemorar Abril representa não só a Revolução dos Cravos que restituiu a Portugal

a Liberdade e Democracia, mas, emocionalmente relevante, o fim da Guerra Colonial que durante 13

longos anos consumiu o melhor da juventude portuguesa das décadas de 60 e 70, com consequências

dramáticas nos cerca de 10.000 militares que tombaram no campo da honra e nas vidas desfeitas de

cerca de 25.000 militares que desta guerra “injusta e evitável”, regressaram magoados, mutilados

e doentes.
> A ADFA tem profunda consciência que o sacrifício imposto à juventude portuguesa de 1961 a 1974,

constituiu, também, a “razão forte"
> desencadeadora da consciência dos Capitães de Abril, para por termo à Guerra Colonial e

restituir aos povos colonizados a independência que tardava em chegar e que por teimosia do

regime ditatorial, obrigou-os a pegar em armas para adquirirem um direito natural de todos os

povos do mundo – A Liberdade, A Democracia, A Justiça Social.
> Assim, convidamos Vossa Excelência a juntar-se aos Deficientes Militares nesta comemoração do

25 de Abril, que evoca, também, os 50 anos do inicio da Guerra Colonial, cujo significado cala

fundo no sentimento de todos os Deficientes das Forças Armadas, com a plena consciência de que

sem “Abril” não existiria a ADFA.
> Sem mais e esperando a presença de Vossa Excelência, aproveitamos o ensejo para apresentar os

nossos melhores cumprimento.
> A Direcção Nacional
> ( O Presidente )
> José Eduardo Gaspar Arruda

1. ºCabo "Caçador"
Manuel Seleiro,

"DFA"

_

segunda-feira, 21 de março de 2011

Pel Caç Nat 60 Guiné 68/74 - P:94 (Primavera)






ÉPrimavera meu (Amor!)



É Primavera agora, meu Amor!


O campo despe a veste de estamenha;
Não há árvore nenhuma que não tenha
O coração aberto, todo em flor!

Ah! Deixa-te vogar, calmo, ao sabor
Da vida... não há bem que nos não venha
Dum mal que o nosso orgulho em vão desdenha!
Não há bem que não possa ser melhor!

Também despi meu triste burel pardo,
E agora cheio a rosmaninho e a nardo
E ando agora tonta, a tua espera...

Pus rosas cor-de-rosa em em meus cabelos...
Parecem um rosal!
Vem desprendê-los!
Meu Amor, meu Amor, é Primavera!...

Florbela Espanca

_
Manuel Seleiro,
1. ºCabo.
"Caçador"
(Guiné)
68/70
<"DFA"

terça-feira, 8 de março de 2011

Pel Caç Nat 60 Guiné 68/74 - P:93 Dia Internacional da "Mulher"






Rosa Vermelha


As Raízes de Nosso Amor



Amo-te porque tudo em ti me fala de África,
duma forma completa e envolvente.
Negra, tão negramente bela e moça,
todo o teu ser me exprime a terra nossa.

Nos teu olhos eu vejo, como em caleidoscópio,
madrugadas e noites e poentes tropicais,
visão que me inebria como um ópio,
em magia de místicos duendes,
e me torna encantado. (Perguntaram-me: onde vais?
E não sei onde vou, só sei que tu me prendes...)

A tua voz é, tão perturbadoramente,
a música dolente dos quissanges tangidos
em noite escura e calma,
que vibra nos meus sentidos
e ressoa no fundo da minh'alma.

Quando me beijas sinto que provo ao mesmo tempo
gosto do caju, da manga e da goiaba,
- sabor que vai da boca até às vísceras
e nunca mais acaba...

O teu corpo, formoso sem disfarce,
com teu andar desgoso, parece que se agita
tal como se estivesse a requebrar-se
nos ritmos da massemba e da rebita.
E sinto que teu corpo, em lírico alvoroço,
me desperta e me convida
para um batuque só nosso,
batuque da nossa vida.

Assim, onde te encontres (seja onde estivesses,
por toda a parte onde o teu vulto for),
eu te descubro e elejo entre as mulheres,
ó minha negra belamente preta,
ó minha irmã na cor,
e, de braços abertos para o total amplexo,
sem sombra de complexo,
eu grito do mais fundo de minh'alma de poeta:


Geraldo Bessa Victor

Manuel Seleiro,

_

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Pel Caç Nat 60 Guiné 68/74 - P92: CONVÍVIO DA C.CAÇ.Nº.3 EM MOIMENTA DA BEIRA A 30ABRIL2011

CONVÍVIO DA C.CAÇ.Nº.3 EM MOIMENTA DA BEIRA A 30ABRIL2011


JOSÉ EDUARDO PEREIRA
Rua João Vaz Corte Real, nº. 28
Vale de Cavala
2820-489 Charneca da Caparica


Caros Camaradas

Comforme combinado no encontro de 2010, na Anadia, fui incumbido de realizar o encontro de

2011

Assim o nosso convívio vai relizar-se no fim de semana de 30 de Abril e 1 de Maio próximo,

em
Moimenta da Beira, na região das Terras do Demo, imortalizada pelo nosso Aquilino Ribeiro.

O programa previsto será o seguinte:

Concentração, pelas 11Horas e 30 minutos, do dia 30 de Abril ( sabado), junto da
Camara Municipal de Moimenta da Beira
Recepção e almoço pelas 13 Horas.

Por volta da 17 horas animação por grupo de cantares da região

Pelas 20 Horas jantar no mesmo restaurante que serve o almoço.

No dia 1 de Maio pelas 8,30 Horas, inicio de um passeio organizado pelos serviços de

turismo da Camara

de Moimenta da Beira, com terminus por volta das 12, 30 Horas.

O almoço do dia 1 de Maio. pode ser combinado em conjunto, ou cada um organizar-se para

voltar como entender.

Para poder organizar este programa necessito, ter resposta até 28 de Fevereiro.

Cada um pode escolher a parte do programa, que mais lhe convier, não faltes


Locais de estadia em Moimenta da Beira;

Hotel Verdeal - preço 50 euros por casal com pequeno almoço

Contactos para marcação: Tel. 254 584 061/2

Telem. 934 679 584

Email: hotelverdeal@clix.pt

Residencial Pico do Areiro: Preço 25 Euros por casal sem pequeno almoço

Contactos para marcação: Tel. 254 582 381

Telem. 938 447 133

As marcações para estadias devem ser feitos com a brevidade possivel, por motivo de vagas




Lisboa, 3 de Fevereiro de 2011

José Eduardo Pereira
Email. jpereira45@sapo.pt
Tel. 212 973 163
Telem. 917 277 253


_

sábado, 1 de janeiro de 2011

Pel Caç Nat 60 - Guiné 68/74 - P90: Ano de 1970 S.Domingos



Guiné 01-01-1970
(SÃO DOMINGOS)
Almoço convívio no dia de Ano novo:


Algums militares da Companhia de cavalaria, 2539 e militares do Pelotão de caçadores nativos 60.
E militares das (DAIMLÉR...)
As fotografias ilustram momemtos desse são convívio.


No dia 1 de Janeiro, faz 41 anos que todos estes rapazes comemoravam o dia de ano novo de 1970.
E hoje, neste dia... Será que se recordam destas imagens?


Como era belo, o verde da selva, o azul do Céu o vermelho da terra (Africana.) São cores que a

nossa retina soube guardar num cantinho da nossa memória para sempre.
É como se fosse um quadro de aguarelas, pintado por mãos misteriosas...
Nos velhos tempos passados nas terras da (Guiné.)

O vosso camarada, Manuel Seleiro vem por este meio desejar um (FELIZ ANO NOVO,) a todos os

camaradas que estiveram em S. Domingos/Ingoré.
De Julho de 68 a Março de 70...
e para todos os camaradas, que estiveram na (GUINÉ.)
A todos os visitantes do Blog do Pelotão de caçadores nativos 60.
(VOTOS DE UM FELIZ ANO DE 2011...

1.º Primeiro cabo (CAÇADOR.)
Manuel Seleiro,
(DFA)

__